17 de ago de 2017 por Andréia Dias

Crítica – Annabelle 2: A Criação do Mal

Com a direção de David F. Sandberg Annabelle 2 – A Criação do Mal conta a história 12 anos antes dos eventos do primeiro filme. Nele, Samuel Mullins (Anthony LaPaglia) um fabricante de bonecas do interior e sua esposa Esther Mullins (Miranda Otto) abrigam por caridade em sua casa uma freira e várias meninas de um orfanato que foi fechado e a partir daí elas se tornam alvo de Annabelle.

O longa cumpre o que promete com todos os elementos do gênero terror de uma maneira espetacular, deixando o telespectador num clima de tensão e é claro com muitos sustos. Claramente esse filme é melhor que o primeiro, com uma narrativa mais elaborada, um roteiro inteligente e de muita qualidade.

  

O elenco mirim do filme é ótimo, o destaque são as protagonistas Talitha Bateman que interpreta a Janice e Lulu Wilson como Linda, a atuação delas é bem relevante e nos momentos mais tensos do filme a expressão facial estava no tom certo e não ficou exagerado.

A escolha de Sandberg, que também dirigiu o sucesso Quando as Luzes se Apagam” foi perfeita e junto com o produtor James Wan (Invocação do Mal) eles estão construindo um universo bem sombrio e aterrorizante conectando Annabelle, Invocação do Mal 2 e o longa ainda sem data de estreia A Freira.

Aos amantes do gênero de terror esse filme é um prato cheio e ele encerra o arco dessa história de maneira sensacional que vale muito a pena conferir e um aviso aos apressadinhos que saem da sala antes mesmo das luzes acenderem, o filme tem uma cena pós-créditos.

 

 

Deixe seu comentário

  1. Monica

    Já vi que esse filme é daqueles de tremer toda kkk! Amei a crítica.

Os comentários estão fechados.